Como a igreja deve lidar com o homossexualismo

Como a igreja deve lidar com o homossexualismo

A HOMOSSEXUALIDADE CONTEMPORÂNEA

 Esse é um assunto bastante difundido pela mídia nos dias atuais, e vejo eu, que tem sido responsável por dividir pessoas devido a posicionamentos contrários. Mais uso deste artigo para manifestar meu ponto de vista a cerca desse assunto, de forma participativa e contribuitiva, pois não vejo alguns pontos de vista serem abordados e que para mim são de extrema importância.

Homossexualismo é genético ou comportamental?

Existe um fato inegável, a ciência não conseguiu identificar nenhum cromossoma gay, ou qualquer anomalia genética, que poderia indicar o homossexualismo como um problema de saúde. Até mesmo já se concluiu que homossexualismo não pode ser considerado doença.

Minha opinião: O homossexualismo existe e sempre existiu. Se for de origem genética ou comportamental não é relevante desde que o homossexual deseja permanecer na sua orientação sexual. Sendo assim, a sociedade deve saber diferenciar estes dois grupos, o homossexuais satisfeitos com a sexualidade e os insatisfeitos.

Para os satisfeitos devemos resguardar o direito de ser o que quiserem, dando proteção, amparo e respeito. A bíblia condena o homossexualismo, como condena o adultério, etc. Não podemos fazer das escrituras uma arma para ofender e agredir pessoas, sejam elas quem for, devemos amá-las para que possam ser convertidas pela palavra de Deus, ou quem assim desejarem, e assim como aos demais pecadores, sejam eles quem for. Pois condenamos pela palavras de Deus todo tipo de pecado, mais não agredimos os adúlteros, porque aceitar agredir os homossexuais? A respeito da homossexualidade a igreja deve ter um posicionamento firme contra toda e qualquer violência. Lembrando que não devemos julgar a ninguém, mais acolher e orientar a todos na nossa visão bíblica.

Para o grupo de homossexuais insatisfeito, dar amparo, amor e ajuda para poderem levar uma vida heterossexual, sabendo que Deus transforma e que ninguém tem que ser aquilo que não quer ser. Neste caso fica implícito o fato que quem não deseja ser homossexual e não se sente satisfeito com isso tem o direito de buscar ajuda para livrar-se de um desejo interior o qual tem sido motivo de luta. E somente neste caso, temos de fato o poder de transformar homossexuais em ex-homossexuais, assim como em todos os demais pecados, Jesus só pode trabalhar no coração dos arrependidos. Sabemos que existem fatos que levam pessoas a se comportarem de uma determinada forma. Por exemplo, uma criança agredida na infância, pode vir a desenvolver uma agressividade. Pessoas que foram molestadas sexualmente podem desenvolver distúrbios psíquicos e passarem a manifestar um comportamento homossexual, mulheres violentadas, podem vir a ter repulsa por homens, devido a lembranças dos abusos sofridos. Como negar tratamento psicológico a essas pessoas que expressaram sua homossexualidade como forma de escaparem de traumas anteriores?

Homossexualismo e a religiosidade

Hoje temos igrejas gays, temos simpatizantes das causas gays que acreditam que Deus ama a todos e por isso os gays também tem direito ao reino de Deus.

Como evangélico não temos como negar o fato de que Deus não é favorável ao homossexualismo.

Levíticos 20: 13 Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher, ambos terão praticado abominação; certamente serão mortos; o seu sangue será sobre eles.

Mais a interpretação bíblica tem que ser mais aprofundada para podermos nos posicionar a cerca dessa matéria.

No velho testamento Deus escolhe Abraão para formar uma nação (os judeus). E Deus estabelece regras para formar um povo santo.

O tempo passa e Jesus Cristo vem para os judeus, e os mesmo o negam como o messias (o enviado de Deus), e fazendo isso Jesus amplia a vontade de Deus para com os homens, agora não só mais os judeus mais todos que desejarem ser salvos.

João 1:12  Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;

Agora Jesus nos prepara para vivermos entre os pecadores e nos mantermos em santidade. Ele nos faz trigo no meio do Joio.

Mateus 13:25 Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. 26 E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. 27 E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio? 28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo? 29 Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. 30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.

Temos que aprender a conviver com pecadores, pois um dia também fomos pecadores. E o senhor realiza todos os dias seu milagre transformando joio em trigo, perdidos em salvos. Até que cheque o dia da colheita devemos estar de coração aberto para receber a todos que desejarem ser transformados.

Porém não podemos transformar o pecador se aceitarmos o pecado como algo natural. Devemos recebê-los mais não receber o pecado.

Vinde como estais mais não permaneça no erro e no engano.

Este é o ponto crucial para lidarmos com essa situação. Pois a igreja preparada entende isso, a igreja que não consegue distinguir o fato de que o pecador deve ser aceito, joga fora almas que poderiam ser salvas.  Devemos admitir o pecador e aos poucos fazer a sua purificação, essa é a missão da igreja, e fazer a transição do pecador para o salvo requer paciência, devemos amar e doutrinar, pagar um preço em oração. E entender que infelizmente nem todos serão salvos.

A agressividade nunca trouxe consigo a razão, somente a intolerância e distanciamento entre as pessoa. As escrituras nos adverte sobre isso, pois não será com força ou violência que haverá transformação, mais pelo amor.

Zacarias 4:6 – E respondeu-me, dizendo: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos.

A igreja é inclusiva para o pecador, mais exclusora do pecado.

Pastor Júlio Fonseca

IDAIgreja de Deus em Anhanguera

www.idagospel.com

Compartilhe esta publicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on print
prjulio

prjulio

Pastor da Igreja de Deus no Bairro Santa Terezinha - Catalão/Go. Pastoreando a 16 anos, pai de 5 filhos, Servo do Deus altíssimo, utilizando a internet como meio de propagação da palavra de Deus a quem desejar. Com humildade e amor.

0 comentário em “Como a igreja deve lidar com o homossexualismo”

  1. Sem objetivamente comentar o assunto aqui discutido quanto a sua forma e conclusão: se concordando ou discordando ─ pedindo, inclusive, desculpas por não fazê-lo… Cujo exato motivo é por já o ter feito de maneira com mais pormenores que não caberiam no espaço aqui existente; daí agradecer a veiculação desse convite à leitura do meu Blog sobre o assunto Genética (atualmente hit na Internet) e mais sobre o PLC 122, conforme o título e endereço que segue: CARTA ABERTA AO EXCELENTÍSSIMO SENADOR PAULO PAIM SOBRE O PLC 122 , endereço: http://www.cartasenador.blogspot.com e o NÃO EXISTE, ABSOLUTAMENTE, ORIGEM GENÉTICA DO HOMOSSEXUALISMO, endereço http://www.origemgenetica.blogspot.com

    Atenciosamente JORGE VIDAL

  2. Carlos A. S. Araújo

    Pastor Júlio, gostei muito de seu artigo. Tenho 54 anos, casado, 3 filhos e 3 netos. O assunto sempre me interessou. A Igreja não está preparada para receber os homossexuais, pelo contrário tem se portado de forma a excluir esse tipo de pecador. Tenho estudado sobre o assunto e já fui convidado para dar palestrar nas Escolas bíblicas de algumas Igrejas. Agradeço por seu artigo. Deus o abençoe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

whatsapp

Últimas Postagens