Os cristãos e as 'boas obras'

Ao escrever a Tito, o apóstolo Paulo demonstra que os homens que dão
ouvidos às fábulas judaicas e a mandamentos de homens são reprováveis
para toda boa obra, pois são desobedientes e abomináveis diante de Deus,
pois não creem em Cristo ( Tt 1:14 -15).
“Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” ( Ef 2:10 )
Recentemente ouvi em um ensinamento
bíblico que muitos cristãos se esquivam de praticarem ‘boas obras’ para
fugirem da ideia da salvação pelas obras, ao passo que os espíritas e
católicos praticam ‘boas obras’ e os evangélicos em geral tem ignorado a
importância espiritual delas. O pregador enfatizou de diversas formas
que é necessário aos cristãos praticarem ‘boas obras’ e apresentou como
argumento suficiente para embasar e concluir sua exposição o verso 10 de
Efésios 2: “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”.
Num primeiro momento a exposição de que os cristãos têm o dever de
praticar as boas obras parece fazer sentido, porém, quando ele afirma
que os cristãos negligenciam as ‘boas obras’ enquanto os espíritas e os
católicos sobressaem nesta área, deixa claro que a argumentação do
pregador deriva de uma lógica simplista, o que me levou a questionar:
será que o ensinamento deste pregador é correto? O versículo citado foi
interpretado corretamente?
É imprescindível ao interprete da bíblia analisar todo e qualquer
versículo à luz de todos os pontos das Escrituras que fazem referencia
ao tema para ter segurança quanto à interpretação do texto. Antes de
iniciar a analise do verso: “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”
( Ef 2:10 ), faz-se necessário ao interprete se esvaziar de seus
próprios conceitos, pois eles influenciam diretamente a interpretação.
Em segundo lugar, vale salientar que a tradução bíblica que
utilizamos foi feita por um padre, o Pe. João Ferreira de Almeida, que
apesar da maravilhosa tradução que produziu, estava à mercê de uma
concepção doutrinária que louvava a filantropia. Portanto, há pontos
específicos na tradução que utilizamos que merecem um cuidado maior
quando analisado, pois uma concepção de que a filantropia é um meio de
se alcançar a salvação, ou que esmolar aproxima o homem de Deus
demonstra certa influencia na tradução, e o tema boas obras merecem uma
atenção específica.
“Antes dai esmola do que tiverdes, e eis que tudo vos será limpo ( Lc 11:41 )
Basta esmolar que o interior e o exterior do copo ficam limpos? O que
limpa o homem do pecado é o sangue de Jesus ou o ato de dar esmolas? “Mas,
se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os
outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o
pecado” ( 1Jo 1:7 ); “Purificando
as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor
fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um
coração puro” ( 1Pd 1:22 ); “Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra” ( Ef 5:26 ).
Analisando os termos traduzidos por ‘obra’, temos:
έργον, ου, το trabalho1.
ato, ação Lc 24.19; Cl 3.17; 2 Ts 2.17; Hb 4.3, 4, 10; Tg 2.14ss.
Manifestação, prova prática Rm 2.15; Ef 4.12; 1 Ts 1.3; 2 Ts 1.11; Tg
1.4. Ato, realização Mt 11.2; Mc 14.6; Lc 11.48; Jo 3.19, 20s; 6.28s;
7.3, 21; 10.25, 37s.; At 9.36; Rm 3.20, 28; Cl 1.10; Hb 6.1; Tg 3.13; Ap
15.3.— 2. trabalho, tarefa, ocupação Mc 13.34; Jo 17.4; At 14.26; 5.38;
1 Co 15.58; 2 Tm 4.5.—3. trabalho, no sentido passivo, indicando o
produto do trabalho At 7.41; 1 Co 3.13, 14, 15; Hb 1.10; 2 Pe 3.10; 1 Jo
3.8.—4. coisa, matéria At 5.38; talvez 1 Tm 3.1.
[ergometria]
ένεργέω1.
trabalhar, estar trabalhando,operar, ser efetivo at Mc 6.14; Gl 2.8; Ef
2.2. το θέλειν και το έ. α vontade e acão Fp 2.13b. Méd. trabalhar Rm
7.5; 2 Co 4.12; Ef 3.20; 1 Ts 2.13; tornar-se efetivo 2 Co 1.6. δέησις
έ. poder efetivo Tg 5.16.—2. trabalhar, produzir, efetuar 1 Co 12.6; Ef
1.11; 2.2; Fp 2.13a.
Léxico do Novo Testamento Grego / Português,
F. Wilbur Gingrich, Revisado por Frederick W. Danker, Tradução de Júlio
Ρ. Τ. Zabatiero.
É suficiente socorrer-nos de um dicionário para compreendermos a
proposta de Cristo e dos seus apóstolos? É plenamente compreensível
quando o termo ‘obra’ é empregado como ocupação,  por exemplo: Marcos
13, verso 34. Mas, como compreender o termo ‘obra’ quando ele é
utilizado para demonstrar que a paciência é uma ‘obra’ que a fé realiza?
“Sabendo que a prova da vossa fé opera a
paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que
sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma” ( Tg 1:3 -4).
O mesmo termo empregado pelo apóstolo Paulo na carta aos Efésios,
verso 10, capitulo 2, é empregado na carta aos Colossenses capítulo
primeiro, verso 10. Compare:
“Para que
possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo,
frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus” ( Cl 1:10 ).
“Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” ( Ef 2:10 )
Enquanto na carta aos Efésios os cristãos são apresentados como novas
criaturas que Deus criou em função das boas obras, na carta aos
Colossenses o cristão é alertado a produzir boas obras. Qual abordagem é
correta?
Considerando que a palavra de Deus é única e imutável, não podemos
aquiescer que a abordagem de um tema possua duas interpretações
distintas. Seria catastrófico analisar as Escrituras se deparássemos com
frases ambíguas (sugere dois sentidos) ou vagas (não há um sentido
definido) por falta de clareza ou precisão na abordagem de um tema.
Há um ramo da filosofia que analisa erros de construções de textos
seculares decorrentes da ambiguidade, o que resulta em uma falácia. Os
principais erros de construção de um texto são: Equívoco (A mesma palavra pode ser usada com dois significados diferentes), Anfibologia (uma frase permite atribuir-lhe diferentes significados) e a Ênfase (sugere uma proposição diferente daquela que, de facto, é expressa).
Um dos maiores problemas da humanidade surgiu com a ênfase. Enquanto
Deus disse ao homem que poderia comer de todas as árvores do jardim do
Éden livremente, com a ressalva de haver consequências caso comesse da
árvore do conhecimento do bem e do mal, o diabo, ao falar com a mulher
enfatizou a ideia de proibição quando disse: “É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?” ( Gn 3:1 ), contrariando a liberdade plena que o homem possuía.
Na bíblia, apesar de uma mesma palavra poder ser utilizada com dois
significados diferentes, o contexto deixa claro qual é o significado
utilizado. As proposições bíblicas não comportam dois significados
diferentes na uma mesma frase.
Não há erros de construção frasal na bíblia, antes o erro se dá no
interprete que, quando analisa um texto bíblico, por causa da sua
concepção, dá ênfase a um determinado elemento fazendo surgir uma nova
proposição completamente distinta do que o escritor postulou.
Daí a necessidade de fazermos algumas perguntas às afirmações
simplistas sobre boa obras: o cristão deve frutificar e crescer na ‘boa
obra’ ou frutificar e crescer no ‘conhecimento de Deus’? Qual a ênfase
do capítulo primeiro de Colossenses, verso 10: frutificar e crescer na
‘boa obra’ ou frutificar e crescer no ‘evangelho’, que é ‘conhecimento
de Deus’?
O apóstolo Paulo demonstrou que os cristãos são feituras de Deus ( Ef
4:24 ), criados em Cristo Jesus para as boas obras, sendo que as boas
obras foram preparadas por Deus para que os cristãos estivessem nelas: “dele [2] Pois [1] somos feitura, criados em Cristo Jesus para obras boas as quais previamente preparou [2] Deus [1]” Novo Testamento Interlinear Grego / Português por Vilson Scholz, Barueri, SP: SBB, 2004.
Este versículo da carta aos cristãos em Éfeso tem por base o que predisse o profeta Isaias: “SENHOR, tu nos darás a paz, porque tu és o que fizeste em nós todas as nossas obras
( Is 26:12 ; Ef 2:17 ). É Deus que concedeu gratuitamente aos homens a
paz através de Cristo, o Príncipe da Paz, de modo que, o próprio Deus
reconciliou os homens através da oferta do corpo de Cristo concedendo
aos que creem a paz que excede todo entendimento ( Ef 2:16 ). Foi Deus
quem realizou para os que creem todas as obras, colocação que o apóstolo
Paulo buscou no livro de Isaias.
No verso de Colossenses é feito alusão ao ‘Senhor’, à ‘boa obra’ e ao
‘conhecimento de Deus’, e quatro processos nos quais os cristãos
figuram como parte ativa: andar, agradar, frutificar e crescer. O
cristão deve andar dignamente diante de Deus, agradando-O em tudo.
Mas como andar agradando a Deus? Primeiro é necessário ser criado em Cristo Jesus, pois sem Cristo é impossível agradar a Deus.
Consequentemente a nova criatura estará nas boas obras que Deus
preparou, o que é essencial para que o cristão possa frutificar e
crescer no conhecimento de Deus “… para andardes dignamente do Senhor para todo agrado, em toda obra boa frutificando e crescendo no conhecimento de Deus…” Novo Testamento Interlinear Grego / Português por Vilson Scholz, Barueri, SP: SBB, 2004.
Só é possível frutificar quando se está ligado à videira verdadeira, ou seja, quando se é uma nova criatura “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” ( Jo 15:5 ); “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” ( 2Co 5:17 ).
A ênfase de Colossenses 1, verso 10 é Cristo, o Príncipe da paz,
visto que aquele que está em Cristo foi criado em função da boa obra,
apto a frutificar e crescer no conhecimento de Deus “Para
que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo,
frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus” ( Cl 1:10 ).
Sem Cristo não há quem faça o bem. Todos juntamente se desviaram e
tornaram-se imundos, de modo que não havia um justo se quer ( Sl 53:3 ;
Sl 14:3 ; Rm 3:12 ; Mq 7:2 ). Como é possível o homem sem Cristo fazer
boa obra se não há quem faça o bem? Antes de Cristo se manifestar nunca
houve entre os homens quem atendesse um necessitado, ou que não houvesse
dado esmolas e nem oferecido alimento ao faminto e cobertura a um
peregrino?
Jesus mesmo disse: “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos…”
( Mt 7:11 ), o que demonstra que dar boas coisas aos semelhantes não é
ser bom e nem é o mesmo que fazer o bem. Cristo vai além ao demonstrar
que, aos maus é impossível dizer boas coisas, que se dirá de realizar
boas obras “Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca” ( Mt 12:34 ).
Considerando que é através de Cristo que Deus concedeu aos que creem
estarem nas boas obras tornando possível frutificarem e que, sem Cristo
não há quem faça o bem, como é possível a alguém que não crê em Cristo
como diz as Escrituras ter em si as ‘obras’ realizadas por Deus? É Deus
quem preparou os cristãos para as boas obras, ou qualquer pessoa está
apta a produzi-las?
O Senhor Jesus fez um alerta sobre as obras que contém a resposta para as pergunta acima:
“Quem
crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto
não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a
luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz,
porque as suas obras eram más.
Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz,
para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade
vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus
( Jo 3:18 -21).
Após demonstrar a Nicodemos que quem crê no Unigênito Filho de Deus é
livre da condenação que há no mundo, e que quem não crê permanece na
condenação, Jesus destacou que os homens amaram mais as trevas do que a
Luz que veio ao mundo pelo fato das obras deles serem más.
Jesus destaca que aqueles que vêm a Ele (vem para luz), são os que
praticam a verdade, e é manifesto que as suas obras são feitas em Deus.
Compete ao homem ‘praticar’ a verdade para ‘estar’ na luz e, somente
aqueles que praticam a verdade são descritos como aqueles que realizam
as suas obras em Deus.
Devemos interpretar Efésios 2, verso 10 considerando o ensinamento de
Jesus e a profecia de Isaias, portanto fazer ‘boas obras’ não é o mesmo
que praticar filantropia.
Aos escrever aos Filipenses, o apóstolo Paulo deixa claro que a ‘boa
obra’ é realizada por Deus nos que creem, pois Deus começou e Ele mesmo
aperfeiçoará a sua ‘boa obra’ até a vinda de Cristo “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” ( Fl 1:6 ).
Qual a boa obra que Deus ‘começou’ nos que creem? A resposta está no seguinte ensinamento de Jesus: “Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou” ( Jo 6:29 ).
E como Deus ‘aperfeiçoa’ a sua obra? Através dos seus apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores, como se lê: “E
ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para
evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o
aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação
do corpo de Cristo” ( Ef 4:11 -12).
Quando o homem crê em Cristo ‘fez’ a obra de Deus, porém, necessita
de perseverança, ou seja, não pode se demover da verdade do evangelho. É
neste ponto que entram os apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e
doutores: eles estão incumbidos de defenderem a verdade do evangelho
para que os cristãos não se demovam da obra realizada por Deus, deixando
de crer em Cristo.
Edificar o corpo de Cristo é a boa obra de Deus, e só possível estar
na ‘boa obra’ quando o homem crê em Cristo. A edificação do corpo de
Cristo é a obra que Deus está realizando no tempo presente, pois se
refere a obra do templo prometido ao rei Davi ( 2Sm 7:11 -13).
Deus prometeu a Davi que edificaria uma casa ao Seu Nome e, que o
Descendente prometido seria o homem que edificaria uma casa a Deus.
Quando nasceu o Cristo na casa de Davi, Deus deu inicio a sua obra
segundo a sua palavra, pois Deus não habita em casa feita por mãos de
homens ( At 17:24 ).
Cristo foi gerado segundo o que fora prometido a Davi: ‘Eu lhe serei por Pai, e Ele me será por Filho’,
e como pedra angular do edifício de Deus foi preparado para as boas
obras. Cristo é a base da boa obra como pedra angular do templo de Deus (
2Sm 7:14 ). Cristo é a pedra angular da obra de Deus e os que creem
tornam-se feituras de Deus, criados em Cristo como pedras vivas,
preparados para comporem o templo santo que foi prometido a Davi ( 1Pe
2:4 -5); “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” ( Ef 2:10 ); “Inclinai
os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque
convosco farei uma aliança perpétua, dando-vos as firmes beneficências
de Davi” ( Is 55:3 ).
O verso 10 de Efésios 2 é melhor compreendido quando entendemos que
na antiguidade as pedras eram preparadas com exclusividade para compor
uma determinada obra, de modo que os cristãos são feituras de Deus em
Cristo para comporem a boa obra. Daí a colocação paulina: Deus
estabeleceu de antemão que os que cressem em Cristo comporiam a obra do
templo que Deus prometera a Davi na condição de pedras vivas ( Ef 2:20
-22).
E como Deus aperfeiçoa a Sua boa obra? Através dos ensinamentos dos
apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores. O objetivo é que
cada pedra viva chegue à medida da estatura completa de Cristo
“Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de
Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo…” ( Ef 4:13 ; Fl 1:6 ).
Neste aspecto, Tiago recomendou aos cristãos que regozijassem quando
se deparassem com várias provações, pois a prova da fé dos cristãos
redunda em paciência, sendo que a paciência é a obra perfeita que a fé
opera “Meus irmãos, tende grande gozo
quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé
opera a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para
que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma” ( Tg 1:3 -4).
Nestes versos Tiago não estava tratando da confiança dos cristãos,
antes da Fé que foi manifesta trazendo salvação a todos os homens, sem a
qual o justo não vive e que sem ela é impossível agradar a Deus ( Gl
3:23 ). A perseverança ou paciência é a obra completa de Cristo “Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo” ( Mt 24:13 ); “Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” ( Tg 1:25 ).
Que obra o homem deve realizar que promove a bem-aventurança? Crer em
Cristo, pois está é a lei perfeita da liberdade. Quem cuida dos que
creem para que permaneçam na verdade do evangelho é obreiro de Deus
nesta obra.
Ao escrever a Tito, o apóstolo Paulo descreveu o perfil de um
presbítero. Após apontar algumas características de cunho pessoal ( Tt
1:6 -8), destaca que os bispos devem guardar firme a palavra fiel sem
dar ouvidos aos pensamentos judaicos, pois os judaizantes diziam
conhecer a Deus, porém, eram réprobos para a boa obra “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra” ( Tt 1:16 ).
Como era possível dizerem conhecer a Deus e negá-lo com as obras?
Negavam a Deus pelo fato de não crerem em Cristo Jesus como Filho de
Deus, pois aquele que nega o Filho, nega também o Pai.
Embora dissessem que obedeciam a Deus, não realizavam a obra exigida por
Deus: crer em Cristo “E Jesus clamou, e disse: Quem crê em mim, crê, não em mim, mas naquele que me enviou” ( Jo 12:44 ); “Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou” ( Jo 5:23 ).
Como rejeitaram a Cristo, a pedra de esquina, os construtores de
Israel eram réprobos para a boa obra, pois a obra de Deus é crer em
Cristo.
Sobre este aspecto disse o apóstolo João: “Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade”
( 1Jo 3:18 ). Dizer que ‘conhece a Deus’ ou ‘que ama a Deus’ sem crer
em Cristo é o mesmo que não realizar a obra exigida por Deus “Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou” ( Jo 6:29 ).
Observe que Jesus é especifico: “Aquele
que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele
que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a
ele” ( Jo 14:21 ). Sem obedecer a Cristo é impossível amá-Lo ou
conhecê-Lo, pois Jesus se manifesta, ou melhor, conhece ou é conhecido
daqueles que O obedecem.
Por que os judaizantes eram reprováveis para a boa obra? Porque não
retinham a sã doutrina do evangelho e o que ensinavam não promovia a
edificação do templo de Deus prometido a Davi “Retendo
firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja
poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os
contradizentes. Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e
enganadores, principalmente os da circuncisão, Aos quais convém tapar a
boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém,
por torpe ganância” ( Tt 1:9 -11).
Ao escrever a Tito, o apóstolo Paulo queria que estabelecessem
presbíteros, pois a intenção do apóstolo era o aperfeiçoamento dos
santos, a obra do ministério, a edificação do corpo de Cristo “Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo” ( Ef 4:12 ).
É comum o equivoco de relacionar ‘boas obras’ com questões de cunho
comportamental, ou com questões de ordem filantrópica. O bom
comportamento é salutar à vida do cristão, porém, o ‘exemplo’ de ‘boas
obras’ decorre única e exclusivamente de uma exposição sadia da doutrina
de Cristo. Ser ‘exemplo de boas obras’ refere-se a conservar intocado o
modelo da doutrina do evangelho, ou seja, livre de mistura, mancha “Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade” ( Tt 2:7 ).
A ideia de ‘exemplo’ em Tito 2, verso 7 expressa a mesma ideia do termo ‘modelo’ em segunda Timóteo: “Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus” ( 2Tm 1:13 );
“Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo,
para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós
que estais num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo
pela fé do evangelho” ( Fl 1:27 ).
Ao escrever aos filipenses, o apóstolo Paulo rogou que vivessem
dignos do evangelho de Cristo. Um bom comportamento é necessário? Sim!
Entretanto, a preocupação maior do apóstolo para com os seus
interlocutores era que permanecessem firmes no espírito, que é o mesmo
que permanecer firme na palavra, evangelho, fé, conhecimento. “Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa” ( 2Ts 2:15 ); “Retendo
firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja
poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os
contradizentes” ( Tt 1:9 ); “Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos” ( 1Co 16:13 ); “Vós,
portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo
engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e
descaiais da vossa firmeza” ( 2Pd 3:17 );
“Por Silvano, vosso fiel irmão, como cuido, escrevi abreviadamente,
exortando e testificando que esta é a verdadeira graça de Deus, na qual
estais firmes” ( 1Pd 5:12 ).
Ao escrever a Timóteo, o apóstolo dos gentios preocupou-se em
apresentar o que é conveniente a um ministro do evangelho (como convém
andar na casa de Deus). Timóteo deveria demonstrar o que expressamente a
palavra diz: que nos últimos dias alguns apostatariam da fé, e
enfatizou qual seria o ensinamento dos réprobos quanto ao evangelho.
Mas, se Timóteo expusesse tais enganadores, seria um bom ministro de
Cristo ( 1Tm 4:1 -10); “Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade” ( 1Tm 3:15 ).
Os obreiros de Deus foram comissionados para uma obra específica: “Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério”
( 2Tm 4:5 ). Aquele que maneja bem a palavra da verdade, que evita
falatórios profanos e permanece firmado no fundamento de Deus ( 2Tm 2:14
-19), está preparado para a boa obra  “De
sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra,
santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa
obra” ( 2Tm 2:21 ); “Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra” ( 2Tm 3:17 ).
Nesta abordagem feita aos Tessalonicenses: “Por
isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como
também o fazeis. E rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham
entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam; E que os
tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre
vós” ( Ts 5:11 -13), o apóstolo Paulo recomenda honra aos que
presidiam, por causa da obra de ‘edificar’ uns aos outros por meio da
palavra (exortação).
O apóstolo Paulo demonstrou que os cristãos de corintos eram a sua obra no Senhor “NÃO sou eu apóstolo? Não sou livre? Não vi eu a Jesus Cristo SENHOR nosso? Não sois vós a minha obra no Senhor?”
( 1Co 9:1 ). O que compreender desta declaração? Que como sábio
arquiteto o apóstolo Paulo havia posto Cristo como fundamento e, cada
cristão em particular estava sobre edificado em Cristo “Segundo
a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o
fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica
sobre ele” ( 1Co 3:10 ).
Lembrando que é através dos seus apóstolos que Deus ‘aperfeiçoa’ a sua obra:
“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros
para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o
aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação
do corpo de Cristo” ( Ef 4:11 -12).
Ao escrever aos corintos, o apóstolo Paulo demonstra que os cristãos
creram em Cristo  conforme o que Deus deu a cada um dos seus ministros: “Pois,
quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e
conforme o que o SENHOR deu a cada um? Eu plantei, Apolo regou; mas Deus
deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que
rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega
são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho.
Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e
edifício de Deus” ( 1Co 3:5 -9).
Observe que a lavoura ou o edifício pertence a Deus, ou seja, a obra é
d’Ele. O fundamento foi estabelecido por Deus, que é Cristo, de modo
que ninguém pode por outro fundamento ( 2Ts 2:19 ). O que compete aos
cooperadores é trabalhar no edifício, sendo que o justo juiz é quem
apreciará a obra de cada um “Porque
ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é
Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de
ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um
se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será
descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que
alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a
obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo,
todavia como pelo fogo” ( 1Co 3:11 -15).
A palavra de Deus é a base da Sua obra, pois Ele diz: “Assim
será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim
vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a
enviei” ( Is 55:11 ). Cristo é o Verbo do Deus vivo, fundamento da obra do Pai
“Vede, ó desprezadores, e espantai-vos e desaparecei; Porque opero uma
obra em vossos dias, Obra tal que não crereis, se alguém vo-la contar” ( At 13:41 ).
Isaias profetizou contra os ‘desprezadores’, os lideres do povo de
Israel, alertando-os de que Deus assentaria na cidade de Davi a pedra
provada, de modo que aquele que n’Ele cresse, não pereceria ( Is 28:14 e
16). Semelhantemente, Habacuque profetizou que Deus realizaria uma obra
em meio ao povo de Israel que, quando contada, o povo não creria ( Hc
1:4 ).
A obra do Pai é realizada por sua palavra, de modo que, quando Jesus
na condição de servo anunciava as palavras do Pai, Deus estava em Cristo
realizando a sua obra. A palavra de Deus diz de Cristo, e quando o
Verbo encarnado apregoou o ano aceitável do Senhor, demonstrava aos
homens ser o firme fundamento estabelecido na obra do Pai “Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras” ( Jo 14:11 ).
Qualquer que anuncia Cristo às nações realiza as obras que Cristo fez “Na
verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as
obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para
meu Pai” ( Jo 14:12 ).
Ao escrever a Tito, o apóstolo Paulo demonstra que os homens que dão
ouvidos às fábulas judaicas e a mandamentos de homens são reprováveis
para toda boa obra, pois são desobedientes e abomináveis diante de Deus,
pois não creem em Cristo ( Tt 1:14 -15).
Em seguida o apóstolo Paulo orienta Tito a exortar os velhos a serem
temperantes, respeitáveis, cordatos, sadios na fé, no amor e na
constância; as mulheres são exortadas a serem sérias no seu viver; os
moços moderados; os servos a serem obedientes aos seus senhores. Tais
comportamentos são pertinentes a quem é pedra viva no templo de Deus,
porém, a obra não se fundamenta no comportamento, e sim, na palavra,
pois o comportamento segundo a moral dos homens constitui-se somente
ornamento à doutrina do evangelho ( Tt 2:10 ).
Semelhantemente, o cristão deve se submeter às questões de governo,
estado etc., para não haver entrave quanto ao anuncio do evangelho.
Qual deve ser o zelo de um cristão? O apóstolo Paulo responde: “Porque
estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para
vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo”
( 2Co 11:2 ). Como o apóstolo zelaria dos cristãos com zelo de Deus?
Preservando intocado o evangelho, pois o evangelho é a simplicidade de
Cristo, que os falsos apóstolos e obreiros fraudulentos queriam
transtornar ( 2Co 11:3 -4); “O qual se deu
a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar
para si um povo seu especial, zeloso de boas obras” ( Tt 2:14 ).
Jesus demonstrou que as palavras que dizia aos seus discípulos não
era dele, antes do Pai, que o enviou, de modo que é Deus quem faz a sua
obra por intermédio de Cristo “Não crês tu
que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos
digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as
obras” ( Jo 14:10 ).
As ‘boas obras’ só é possível àqueles que estão em Deus, ou seja, que
creram em Cristo. Sem Cristo o homem é mau e só realiza obras más,
visto que ‘boas obras’ são feitas única e exclusivamente por aqueles que
creem em Cristo “Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele, e ele em Deus” ( 1Jo 4:15 ).
Ora, qualquer que não confessa que Cristo é o Filho do Deus vivo não
pratica e não pode praticar boas obras, pois não está em Deus. Portanto,
quando referirmos as práticas louváveis do ponto de vista dos homens,
como as ações de ordem filantrópicas, ou de bom trato, nomearemos de
‘boas ações’, e não ‘boas obras’, pois as ‘boas obras’ só são realizadas
por aqueles que confessam que Jesus é o Filho de Deus.
Mas, para o homem estar em Deus, primeiro tem que crer em Cristo (
1Jo 4:15 ), o que o habilita para a boa obra. Para o cristão preparar-se
para a boa obra, deve sujeitar-se as autoridades de estado, uma vez que
a boa obra não diz de luta política ou de classes “Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra” ( Tt 3:1 ).
Quando o apóstolo Paulo diz a Tito: “E os nossos aprendam também a aplicar-se às boas obras, nas coisas necessárias, para que não sejam infrutuosos” ( Tt 3:14 ), estava fazendo alusão a palavra do evangelho, e não as ações de cunho social que tanto é apregoada em nossos dias.
Quando o apóstolo Paulo diz que Epafrodito esteve próximo da morte
pela obra, temos que entender que, para que a palavra sem fermento fosse
anunciada pelo apóstolo dos gentios, Epafrodito não fez caso de sua
própria existência para suprir as necessidades de Paulo “Porque
pela obra de Cristo chegou até bem próximo da morte, não fazendo caso
da vida para suprir para comigo a falta do vosso serviço” ( Fl 2:30 ).
Epafrodito se dispôs a dar a vida trabalhando para sustentar o
apóstolo Paulo para que a Palavra da verdade fosse pregada. Epafrodito
sabia que era necessário que Paulo continuasse ensinando a verdade do
evangelho para que os crentes pudessem conservar o modelo das sãs
palavras de Cristo, pois só por intermédio dela é que Deus realiza a sua
obra “As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras” ( Jo 14:10 ).
A obra de Deus está vinculada à palavra de Deus. Sem a palavra de
Deus não há obra boa. Quando se anuncia as palavras de Deus conforme as
Escrituras, a obra e realizada por Deus.
Quando lemos: “Vos aperfeiçoe em toda a
boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante
ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o
sempre. Amém” ( Hb 13:21 ), a ênfase do escritor aos Hebreus
repousa no fato de os cristãos serem criados para a boa obra e, que por
sua vez, Deus os aperfeiçoará para fazerem a vontade de Deus: “Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade” ( 1Tm 2:4 );
“Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que
vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no
último dia” ( Jo 6:40 ).
Todos quantos falam conforme o mandamento que Cristo recebeu do Pai são perfeito para a boa obra: “E sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, o que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito”
( Jo 12:50 ), pois quem não diz nada de si mesmo ou conforme a sua
carnal compreensão é porque sabe que é Deus quem faz a Sua obra ( Jo
14:10 ).
Conhecer o Pai por intermédio do Filho é a obra que Deus realiza “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” ( Jo 17:3 ).
Para saber mais sobre a obra de Deus, adquira o livro “A Obra que demonstra Amor a Deus”
Fonte: Estudos Bíblicos

Receba os nossos estudos em tempo real

Compartilhe esta publicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on print
prjulio

prjulio

Pastor da Igreja de Deus no Bairro Santa Terezinha - Catalão/Go. Pastoreando a 16 anos, pai de 5 filhos, Servo do Deus altíssimo, utilizando a internet como meio de propagação da palavra de Deus a quem desejar. Com humildade e amor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

whatsapp

Últimas Postagens