Queimam vivo a um suspeito de blasfêmia contra o Alcorão

Queimam vivo a um suspeito de blasfêmia contra o Alcorão

Uma multidão queimou vivo ontem no sul do Paquistão a um homem que supostamente tinha queimado exemplares do Alcorão, o livro sagrado islâmico. O linchamento produziu-se na localidade de Seeta, na província de Sindh, onde uma turbamulta sacou pela força à vítima de uma delegacia na que permanecia ingressada depois de ter sido acusada de blasfêmia.

 
  A seguir os assaltantes puseram fogo ao homem em frente ao edifício policial.
 
   O íman de Seeta disse que a vítima tinha dormido uma noite na mesquita do povo, na que ao dia seguinte os crentes muçulmanos descobriram restos de exemplares do Alcorão que tinham sido queimados. «Como tinha sido a única pessoa que tinha dormido na mesquita levamos ao homem à comisaria», explicou.
 
  Uns duzentos vizinhos foram acusados diante a justiça de assassinato e obstrução à polícia, e dez agentes têm sido suspendidos do corpo por «negligencia».
 
   A LEY ANTI-BLASFEMIA
   A dura legislação antiblasfêmia vigente no Paquistão foi estabelecida durante a dominação colonial britânica para prevenir choques religiosos, mas nos anos 80 uma série de reformas auspiciadas pelo ditador Ziaul Haq favoreceu o abuso da lei, sempre a favor do fundamentalismo islâmico.
 
  Desde então produziram-se em torno de um milhar de acusações por blasfemia, quase sempre a instâncias de ímans locais que tentam amedrontar às minorias religiosas, em especial aos cristãos e os ahmadíes, um ramo do islamismo que está considerada herética no Paquistão.
 
  Os casos mais famosos têm sido os da Ásia Bibi e Rimsa Mashi, ainda que ainda seguem no Paquistão 16 cristãos condenados oficialmente a morte por ‘blasfêmia’.
 
  São também frequentes ataques de todo tipo, o último o assassinato da missionária protestante sueca Bargeeta Almby, que sofreu vários disparos a queima-ropa depois de estar 38 anos no país como cooperante.

 

Compartilhe esta publicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on print
prjulio

prjulio

Pastor da Igreja de Deus no Bairro Santa Terezinha - Catalão/Go. Pastoreando a 16 anos, pai de 5 filhos, Servo do Deus altíssimo, utilizando a internet como meio de propagação da palavra de Deus a quem desejar. Com humildade e amor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

whatsapp

Últimas Postagens